-

Para a autora, a dramaturga Camila Appel, a morte √© o pr√≥ximo tabu --depois do sexo-- a ser quebrado. Blog traz informa√ß√Ķes, entrevistas e o desenvolvimento do tema pelas diversas √°reas do pensamento.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Oração ao tempo

Conversando com uma empreendedora funer√°ria, fiquei sabendo que poucas pessoas deixam orienta√ß√Ķes sobre a m√ļsica que deve ser tocada durante seu funeral. No Cemit√©rio Horto da Paz, por exemplo, √© poss√≠vel escolher uma m√ļsica para acompanhar a descida do caix√£o, durante a cerim√īnia de crema√ß√£o. Sem tempo nem cabe√ßa para pensar no assunto, os familiares(…)

Um som para a UTI 

As UTIs j√° foram classificadas como ‚Äúbranches of hell‚ÄĚ (uma esp√©cie de inferno na Terra) em estudos sobre tratamentos intensivos. Uma pesquisa do ano passado afirma que um quarto dos pacientes sofrem de transtornos p√≥s-traum√°ticos at√© um ano ap√≥s a interna√ß√£o. Esse estudo chegou a mencionar que voc√™ tem as mesmas chances de ter stress(…)

Você é normal?

E a√≠, voc√™ √© uma pessoa… normal? Voc√™ se considera t√≠pico, mediano, adequado? Voc√™ estaria na m√©dia de uma curva estat√≠stica? O que √© uma pessoa normal, afinal de contas? √Äs vezes me questionam se eu sou uma pessoa normal, por ter um blog que fala sobre morte.¬†N√£o tenho d√ļvidas de que o conceito de(…)

A liberdade de morrer

O advogado Jos√© Luiz Toro Da Silva, s√≥cio fundador do Toro Advogados, enviou ao blog um artigo seu sobre o tema “a liberdade de morrer”. Segue seu texto, abaixo. Aproveito para sugerir a leitura de artigos na categoria “Ajuda M√©dica para Morrer” do blog, sobre eutan√°sia e suic√≠dio assistido. Eu recomendo a leitura desses: “Sobre(…)

Como o brasileiro vê o cemitério

O professor e pesquisador Thiago Nicolau de Ara√ļjo √© fascinado por arte cemiterial e pelo papel art√≠stico e sociocultural dos cemit√©rios, representados nas artes dos t√ļmulos. Seu livro ‚ÄúO Que Amamos N√£o Esquecemos‚ÄĚ, (ed. Chiado, 2016) fala sobre a rela√ß√£o do ser com sua pr√≥pria finitude e de que forma isso se expressa¬†na simbologia¬†presente no(…)

Fotógrafa registra o Brasil por meio de cemitérios

A analista de software¬†e fot√≥grafa Paula Portes sente-se bem em¬†cemit√©rios. √Č uma postura herdada do pai, que sempre tratou a morte sem dedos com a menina. Em viagens pelo Brasil, ela registra l√°pides, esculturas e s√≠mbolos. Encantada com a hist√≥ria e a cultura de cada cemit√©rio, Paula considera que uma cidade s√≥ √© realmente conhecida(…)

A morte e o sexo

‚ÄúLa petite mort‚ÄĚ, dizem os franceses quando se referem ao orgasmo. Nele h√° o escape de uma vida e o instinto de cria√ß√£o de outra. Os amantes esvaziam-se. Exaustos (nas nossa melhor imagina√ß√£o), ¬†contemplam a finitude e podem sentir a melancolia de um fim. Se o orgasmo √© uma pequena morte, sexo √© morrer junto.(…)

O luto de Lula

“- Todos os que eu amava j√° se foram… e isso d√≥i terrivelmente. – Eu posso fazer esse sentimento desaparecer, se voc√™ quiser. – Por que eu iria querer isso? A dor, as saudades, √© tudo o que me restou deles… Voc√™ acha que a dor o far√° menor por dentro, far√° seu cora√ß√£o partir,(…)

Blogs da Folha