Cemitério vira ponto turístico noturno

Por Camila Appel

A partir de novembro, visitas noturnas no cemitério Consolação poderão ser agendadas por guias e agências cadastradas na SP Turis, empresa de turismo que tem como sócia majoritária a Prefeitura de SP. Se a iniciativa for bem sucedida, o cemitério abrirá suas portas ao público em geral para uma visita guiada (e previamente agendada) com o conhecido guia local Popó (leia mais sobre ele e o cemitério Consolação nos posts relacionados, abaixo).

O Serviço Funerário do Município de São Paulo (SFMSP) tem mostrado iniciativas de valorização cultural e ambiental dos cemitérios que administra. Seu programa “Memória e Vida” propõe, por exemplo, oferecer museus a céu aberto. Um ponto de referência para o projeto é o cemitério Consolação. Lá já estão funcionando os QR-codes instalados nas lápides. Com um aplicativo de leitura no celular, o visitante pode acessar a história de um túmulo, fotos, obituários, biografias e links.

Durante uma visita guiada noturna aberta a jornalistas nessa última sexta-feira (16), o grupo teatral Coletivo Barqueiro da Boa Viagem apresentou com criatividade 17 túmulos do cemitério, como o da Marquesa de Santos, Mario de Andrade, Monteiro Lobato e Tarsila do Amaral. Esse grupo se prepara para montar “A Morte de Ivan Ilich”, de Tolstói, na capela do cemitério.

Há outras iniciativas desenvolvidas pelo programa “Memória e Vida” como apresentações musicais (orquestras, saraus, corais e shows), programação para a Virada Cultural, Cinetério (exibição de filmes no cemitério Consolação), peças de teatro, encontros, palestras e uma trilha ambiental no cemitério Vila Formosa.

A visita noturna é uma prática comum em outros países, como Estados Unidos e Inglaterra, só nos resta saber como eles lidam com os moradores mais vivos e inoportunos desses jardins. No nosso caso, baratas brincam de carrinho bate-bate com os calcanhares dos visitantes, estimuladas pelo calor da noite, como me disseram. A dedetização realizada não conseguiu intimidá-las. Mas é uma questão que não deve inibir o sucesso de uma boa empreitada como essa e há de ter uma solução. Ou essa opção turística ficará restrita àqueles que não se importam com essa presença.

Saiba mais sobre o cemitério Consolação e o Popó no post:

O que os mortos falam

Outros posts relacionados

Um cemitério encantado por Orfeu

Para gelar a alma

Conheça Fininho, o surpreendente coveiro formado em filosofia

Um cemitério inspirado em Inhotim no meio do Jardim Ângela 

IMG_6978
Grupo teatral coletivo Barqueiro da Boa Viagem apresenta a visita guiada noturna do cemitério Consolação