Crematório transforma cinzas em joias para o Dia das Mães

Por Camila Appel

O que fazer com as cinzas após a cremação ainda é uma questão para muitas famílias. As alternativas mais exóticas são pouco divulgadas, como o envio de cinzas para o espaço (por meio de um serviço da Nasa e custa em torno de 5000 dólares), fogos de artifícios (vovô espalhado em Copacabana no reveillon), quadros com uma imagem escolhida (a técnica chama arte picto-crematória, eu já vi um lindo quadro com o “O Beijo”, de Klimt), diamantes feitos com o carbono do corpo humano, plantar uma árvore, confeccionar um disco de vinil com uma empresa muito doida, ou não cremar o corpo e doá-lo para ciência, para uma exposição sobre o corpo humano, mumificar, etc. Leia mais sobre essas e outras opções na secção O que você quer ser quando morrer, do blog. No post Como ocorre a cremação há um exemplo de um processo crematório no estado de São Paulo.

O Crematório Vaticano lançou uma proposta inovadora para esse Dia das Mães. No domingo (8), haverá um evento com um artesão especializado confeccionando peças de cristais fundidas com as cinzas da mamãe falecida. Uma forma de eternizar  a progenitora, mantê-la perto do coração simbolicamente, uma homenagem bonita. Imagino que muitas mães e avós sorririam com a possibilidade de virar uma joia depois da morte. Fica a dica.

A transformação de cinzas em diamantes já é uma técnica conhecida, mas muitas vezes ignorada pelo preço. Uma empresa que faz o serviço com diamantes é a Brilho Infinito. O Crematório Vaticano também produz diamantes. São usadas 300g de cinzas, levadas a um processo físico e químico para separar o carbono das cinzas. O carbono é submetido a altas temperaturas e pressão por 3 meses. O carbono vai se transformar em grafite e posteriormente, em diamante. A pedra vai aumentando de tamanho dependendo do tempo que permanecer no processo. Após esse tempo, é enviado para lapidação de acordo com o formato escolhido pela família.

Mylena Cooper, diretora do Crematório Vaticano, considera a alternativa do cristal mais barata e mais rápida. O cristal custa 600 reais e fica pronto em 1 mês. O diamante custa 20 mil e demora 3 meses. Mylena afirma ter patenteado o produto do cristal com as cinzas no Brasil. É possível escolher as cores e o formato do pingente ou optar por peças decorativas e esculturas de qualquer formato, como corações, anjos, animais, instrumentos musicais, etc.  A fusão se dá a 1.500 C, onde a peça é modelada. É possível escolher o tamanho também.  Como são usadas 20g de cinzas, a família pode fazer diversas peças (uma para cada filho, sobrinho, amigo, etc) ou dar outro destino para as cinzas restantes.

O Crematório Vaticano fica no Paraná (com filiais em Santa Catarina), mas envia os cristais e diamantes para toda a América Latina.

A autonomia sobre o próprio corpo é uma discussão que permeia diversas esferas e tem alcançado essa daqui: o que você quer ser quando morrer. Decidir sobre como deseja vivenciar o fim da vida, como gostaria de morrer, discutir um testamento vital, ou mesmo desabafar sobre o luto no maior confessionário dos nossos tempos, o Facebook.

 

SONY DSC
diamante produzido pelo Crematório Vaticano
banner_brilhoinfinito_sobreabrilho
Diamante produzido pela Brilho Infinito
SONY DSC
Pingentes de cristal com cinzas, produzidos pelo Crematório Vaticano

 

SONY DSC
escultura de cristal confeccionada com cinzas – produzido pelo Crematório Vaticano