Arquivo - Categoria: Depoimentos de leitores

Relato: O que aprendi com meu pai

¬†“Escolhi a certeza de que vivemos a vida que foi poss√≠vel termos vivido. Esta √© a √ļnica contabilidade potencialmente justa.¬†Esta escolha aplaca e acolhe todo o resto. Transforma a dor em saudade e em sorriso. Fagulha em neur√īnios, reativando mem√≥rias esquecidas. E pavimenta a estrada, preparando-a para que caminhemos sempre juntos, eu e ele, n√£o(…)

“Esperar o melhor e se preparar para o pior”- depoimento sobre o furac√£o Matthew

O furac√£o Matthew fez o presidente norte-americano, Barack Obama, declarar estado de emerg√™ncia no pa√≠s. E o governador da Fl√≥rida, Rick Scott, pedir para 1,5 milh√Ķes de pessoas deixarem suas casas. Os Estados Unidos vivem um clima de p√Ęnico. O¬†furac√£o invoca o medo da morte, um medo que alimenta cen√°rios desastrosos na mente e impulsiona(…)

‚ÄúSobre sobreviver a si mesmo‚ÄĚ e ‚ÄúO suic√≠dio do meu marido‚ÄĚ

Para fechar o setembro amarelo – m√™s de conscientiza√ß√£o do suic√≠dio, trago dois depoimentos sobre o assunto. O de Let√≠cia (nome fict√≠cio) sobre a morte de seu marido e o de Ivana, abordando uma experi√™ncia pr√≥pria. Depoimento: ‚Äúo suic√≠dio do meu marido‚ÄĚ “H√° muito tempo que venho ensaiando este texto, mas n√£o tinha certeza do(…)

Leitor escreve sobre ter previsto a morte do pai

Professor Trindade enviou¬†um depoimento sobre um sonho premonit√≥rio que teve aos cinco anos, com a morte de seu pai.¬†Jo√£o Trindade √© jornalista, advogado e professor universit√°rio. Nasceu em Pianc√≥, na Para√≠ba e hoje mora na capital do estado, Jo√£o Pessoa. Depoimento: Lembran√ßas da morte Por Jo√£o Trindade “Foi sinistro aquele 17 de janeiro de 1963.(…)

De Shakespeare a Cervantes: A Morte na Literatura

O leitor Pedro Del Mar enviou ao blog um artigo que escreveu sobre morte na literatura. Pedro mora em Salvador, √© rep√≥rter e colunista. Publica textos em seu¬†site pessoal¬†e mant√©m¬†uma coluna no portal Cabine Cultural. Pedro nos escreve sobre a morte na literatura, passando pela melancolia de Moacyr Eclair √† interpreta√ß√£o da alegoria da morte(…)

Confiss√Ķes suicidas

“Enfim, escrevo n√£o apenas como um desabafo, mas na busca de sensibilizar pessoas, pois quem √© acometido ou at√© nutre pensamentos e h√°bitos suicidas muitas vezes n√£o transparece isso. Por isso, venho apelar para a generosidade das pessoas” (…) “Ou√ßa, busque compreender e jamais julgue, pois s√≥ o frio escuro da madrugada conhece a amargura(…)

Entre o ceticismo e a fé

A jornalista e mestranda em Comunica√ß√£o Social pela UFMG, Juliana Ferreira, enviou ao blog o arrepiante depoimento abaixo. Ela nos relata casos de mediunidade, em experi√™ncias que tem desde os dois anos, e confidencia um dilema comum: oscilar entre dois extremos – o ceticismo e a f√©. ¬†“Alguns fil√≥sofos contempor√Ęneos defendem que a sociedade de(…)

A morte segundo os sentidos dos maoris

“Os maoris creem que temos uma alma e uma ess√™ncia de vida. Essa ess√™ncia nos √© dada a cada vida, estar√° em n√≥s enquanto vivermos e deixar√° de existir com a morte do nosso corpo, do nosso ‚Äúrecipiente‚ÄĚ.¬†A alma estar√° conosco pela eternidade”. A advogada especialista em direitos do autor, Luciana Freire Rangel, escreveu um(…)