-

Para a autora, a dramaturga Camila Appel, a morte √© o pr√≥ximo tabu --depois do sexo-- a ser quebrado. Blog traz informa√ß√Ķes, entrevistas e o desenvolvimento do tema pelas diversas √°reas do pensamento.

Perfil completo

Publicidade

Como funciona a doação de órgãos

O tabu e a falta de informa√ß√£o prejudicam os n√ļmeros, e a quantidade de doa√ß√Ķes de √≥rg√£os realizadas acabam sendo inferiores √†s necessidades brasileiras. Segundo a ABTO, Associa√ß√£o Brasileira de Transplantes de √ďrg√£os, hoje, no pa√≠s, existem mais de 30 mil pessoas na fila √† espera de um transplante. De 2015 para 2016, o n√ļmero(…)

1¬į Concurso Liter√°rio Relacionado ao tema “Suic√≠dio”

O Instituto Vita Alere, de preven√ß√£o e posven√ß√£o do suic√≠dio, organiza, pela primeira vez, um concurso liter√°rio relacionado ao tema “suic√≠dio”. Ele √© dividido em tr√™s categorias: sobreviventes do suic√≠dio, enlutados por um suic√≠dio e profissionais da √°rea da sa√ļde. Seu objetivo √© incentivar a escrita como forma de processamento de uma a√ß√£o t√£o devastadora.(…)

Solit√°rio An√īnimo

‚Äú Date: 20-09-006 A QUEM INTERESSAR POSSA: MEU NOME: SOLIT√ĀRIO AN√ĒNIMO N√ÉO TENHO FAMILIARES NEM PARENTES NESTA REGI√ÉO DO PA√ćS‚ÄĚ O curta metragem documental ‚ÄúSolit√°rio An√īnimo‚ÄĚ, de 2007, retrata um homem que foi para uma pequena cidade do interior de Goi√°s com o objetivo de jejuar at√© morrer. Ele √© encontrado quase pele e osso,(…)

Vel√≥rio drive-thru ‚Äď parte 2

Segundo o ‚ÄúThe Japan Times News‚ÄĚ, o Jap√£o testar√° um novo tipo de servi√ßo funer√°rio: o drive-thru. Ele ser√° voltado, inicialmente, para os mais velhos, que apresentam dificuldade de locomo√ß√£o, por exemplo. Na cidade onde o servi√ßo ser√° testado no final desse ano, Nagano, 30% da popula√ß√£o tem mais de 65 anos. Os amigos e(…)

Relato: O que aprendi com meu pai

¬†“Escolhi a certeza de que vivemos a vida que foi poss√≠vel termos vivido. Esta √© a √ļnica contabilidade potencialmente justa.¬†Esta escolha aplaca e acolhe todo o resto. Transforma a dor em saudade e em sorriso. Fagulha em neur√īnios, reativando mem√≥rias esquecidas. E pavimenta a estrada, preparando-a para que caminhemos sempre juntos, eu e ele, n√£o(…)

Serviço de realidade aumentada japonês oferece encontros virtuais no pós-morte

A ind√ļstria funer√°ria japonesa n√£o para de nos surpreender. Com uma taxa de mortalidade maior do que a m√©dia global, esse mercado tem se reinventado.¬†A taxa do Jap√£o √© de 0,94% enquanto a global √© de 0,84%, e se aproxima da brasileira. A √ļltima novidade no Jap√£o¬†√© um servi√ßo de realidade aumentada, a mesma tecnologia(…)

Cemitério faz aula aberta de ioga

  “Cemit√©rio tamb√©m √© lugar para falar de vida. √Č onde guardamos a mem√≥ria e a hist√≥ria dos nossos entes queridos e, ao homenage√°-los, valorizamos o legado deles, fazendo viver em n√≥s. Cemit√©rio nos traz, tamb√©m, a certeza da import√Ęncia de valorizar o momento presente e quem amamos. Por isso, olhar para a finitude, ou(…)

Relato: um Dia dos Pais sem pai

A assistente social Marina Rocha Toledo Piza, 25 anos, escreveu ao blog para compartilhar um depoimento sobre a morte de seu pai.¬†‚ÄúDesde que meu pai morreu, muitos amigos tamb√©m passaram por situa√ß√Ķes parecidas e sempre vieram me procurar, me sinto quase que na obriga√ß√£o de ajudar outras pessoas e enfrentar essa fase t√£o complicada‚ÄĚ, introduz(…)

Uma m√ļsica indecente

Sobre a ‚ÄúMarcha F√ļnebre‚ÄĚ de Chopin Estava eu no tr√Ęnsito, escutando a R√°dio Cultura FM (103,3 em S√£o Paulo) quando come√ßou a tocar a ‚ÄúMarcha F√ļnebre‚ÄĚ, do compositor polon√™s-franc√™s Fr√©d√©ric Chopin (1810-1849). Um lindo dia de sol e eu enfurnada numa lata de rodas ao som da famosa trilha da morte. Quando come√ßou aquele tan,(…)

Blogs da Folha