Marielle Franco: recordar sua morte é lutar por justiça

Marielle Franco na Câmara Municipal do Rio de Janeiro/ Mario Vasconcellos

No dia 14 de março de 2018, eu voltava para casa de trem, quando abri o Whatsapp e em todos os grupos uma única mensagem: a vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram brutalmente assassinados. Eu trazia o cansaço no corpo de quem atravessa todos os dias a cidade, rodeada de outros, sentados […]

Leia Mais

Dois anos depois de Brumadinho: luto, lama e luta

Dias após rompimento da Barragem em Brumadinho (MG)/ Isis Medeiros

Joeliza Feitosa trabalhava em Belo Horizonte (MG) quando ouviu as primeiras notícias sobre o rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), em 25 de janeiro de 2019. Sua maior preocupação era a filha, moradora das margens do Rio Paraopeba, em Juatuba. Saiu correndo, com receio da chegada do rejeito no local. Pediu […]

Leia Mais

Vamos falar sobre o privilégio branco de morrer de morte natural?

Manifestação no Rio de Janeiro em junho de 2020/Luna Costa

Eu poderia iniciar este texto dizendo que faz dez dias que as primas Emily Victória da Silva e Rebecca Beatriz Rodrigues Santos foram assassinadas na porta de casa, em Duque de Caxias, Rio de Janeiro (RJ).  Ou pouco mais de um ano do massacre de Paraisópolis (SP), onde 9 jovens foram mortos por estarem se […]

Leia Mais

‘Num largo quintal de memórias, ressignifico o luto em meio à pandemia’

Jéssica Moreira e Vó Laurentina na casa em Perus (SP)/ Bárbara Almeira

A ‘ficha’, como dizem, caiu mais latente no meio da pandemia, já que a gente não pode arredar pé, fugir de casa, respirar outra coisa que não seja a lembrança. A pandemia comprimiu tudo, inclusive as dores.   Quando eu nasci, vó Laurentina tinha 67 anos. Fui a penúltima neta de uma família de 16. […]

Leia Mais

100 mil mortes e por que o luto é uma questão de saúde pública

Vista aérea dos túmulos onde foram sepultadas as vitimas do Covid-19 no cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo (Lalo Almeida/Folhapress)

Ultrapassamos os cem mil mortos. São cem mil lembranças. Cem mil nomes. Cem mil faces. Cem mil rupturas abruptas que irão ser sentidas nas mais diversas dimensões por aqueles que permanecem em uma nação que nada fez, nada fará, para dar freio ao inimigo invisível que beira todo e qualquer lugar que estejamos. Não é possível simplesmente ‘tocar a vida’. Precisamos […]

Leia Mais

Precisamos falar sobre o luto das mulheres negras

Nívia Raposo em homenagem ao filho Rodrigo/Nayara do Carmo

Rodrigo Tavares Raposo nasceu antes da hora, em 7 de fevereiro de 1996. Pressa de vida. Cabeludo, com costeletas e corpo miúdo, até hoje o cordão umbilical está muito bem guardado, seguindo o costume da família. Aos 2 anos, já girava o mundo do quintal de casa em cima de uma bicicleta. Crescido, fez caratê, capoeira, […]

Leia Mais