Rir é resistência: o evitável adeus de Paulo Gustavo e de 3 mil pessoas

Paulo Gustavo com o marido Thales Bretas e os filhos, Gael e Romeu (Reprodução Instagram)

por Camila Appel e Jéssica Moreira Às 21h12 da terça-feira (4), o Brasil recebeu com dor a notícia da morte do humorista Paulo Gustavo. Além de Paulo, só ontem, outras 3.025 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus. Ao todo, são mais de 412 mil vidas interrompidas por uma doença para a qual não há […]

Leia Mais

Faço tudo pelo meu filho

Arquivo Pessoal

Arthur nasceu em 2009 com problemas de saúde.  Ficou 4 meses na UTI. Até os 20 dias de vida, fez 4 cirurgias para lidar com a enterocolite, uma inflamação no trato digestivo. Perdeu metade do intestino. O pai chegou a comprar um jazigo para o filho. O início desse texto é assustador, mas a história […]

Leia Mais

300 mil mortes e um rastro de fome

Homem caminha em frente a cartazes da campanha ‘Bolsocaro’ na Av. Paulista/ Marlene Bergamo

Falar de morte constantemente não naturaliza nem diminui a dor e indignação frente a mais de 3 mil perdas em um único dia. Ou 300 mil óbitos em um ano de pandemia. O sentimento de tristeza atravessa nossa existência em cada conversa mediada pelas telas ou reportagens nas redes ou televisão. Há uma frustração generalizada em toda […]

Leia Mais

Marielle Franco: recordar sua morte é lutar por justiça

Marielle Franco na Câmara Municipal do Rio de Janeiro/ Mario Vasconcellos

No dia 14 de março de 2018, eu voltava para casa de trem, quando abri o Whatsapp e em todos os grupos uma única mensagem: a vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram brutalmente assassinados. Eu trazia o cansaço no corpo de quem atravessa todos os dias a cidade, rodeada de outros, sentados […]

Leia Mais

‘Seu filho é incompatível com a vida!’

A jornalista Iaçanã Woyames escutou essa frase mais de uma vez: ‘seu filho é incompatível com a vida’. O bebê crescia na barriga com uma má formação na bexiga. Com essa expressão, os médicos sinalizavam que ele teria poucas chances de sobreviver. Esse termo é um jargão médico para má formação, anencefalia e síndromes genéticas graves. Para […]

Leia Mais

Dois anos depois de Brumadinho: luto, lama e luta

Dias após rompimento da Barragem em Brumadinho (MG)/ Isis Medeiros

Joeliza Feitosa trabalhava em Belo Horizonte (MG) quando ouviu as primeiras notícias sobre o rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), em 25 de janeiro de 2019. Sua maior preocupação era a filha, moradora das margens do Rio Paraopeba, em Juatuba. Saiu correndo, com receio da chegada do rejeito no local. Pediu […]

Leia Mais

O luto como política de resiliência

Cemitério da Vila Formosa (SP)/ Leonardo Britto/Agência Mural

por Beatriz Prates e Julia Ferry* O clássico da nouvelle vague francesa, “Hiroshima Meu Amor”, ressignificou através do olhar cinematográfico as noções de memória individual e coletiva. Com uma construção narrativa que transita entre o documentário e a ficção, o filme de Alain Resnais registra o movimento de uma câmera que percorre museus, fotografias e […]

Leia Mais

Vamos falar sobre o privilégio branco de morrer de morte natural?

Manifestação no Rio de Janeiro em junho de 2020/Luna Costa

Eu poderia iniciar este texto dizendo que faz dez dias que as primas Emily Victória da Silva e Rebecca Beatriz Rodrigues Santos foram assassinadas na porta de casa, em Duque de Caxias, Rio de Janeiro (RJ).  Ou pouco mais de um ano do massacre de Paraisópolis (SP), onde 9 jovens foram mortos por estarem se […]

Leia Mais

‘Num largo quintal de memórias, ressignifico o luto em meio à pandemia’

Jéssica Moreira e Vó Laurentina na casa em Perus (SP)/ Bárbara Almeira

A ‘ficha’, como dizem, caiu mais latente no meio da pandemia, já que a gente não pode arredar pé, fugir de casa, respirar outra coisa que não seja a lembrança. A pandemia comprimiu tudo, inclusive as dores.   Quando eu nasci, vó Laurentina tinha 67 anos. Fui a penúltima neta de uma família de 16. […]

Leia Mais

A importância de falar sobre morte com as crianças

Abraço entre mãe e filha/ Créditos: Eye for Ebony/Unplash

Quando criança, sempre visitava a lápide de minha avó materna. Migrante do Paraná em São Paulo, Evarista morreu na contramão atrapalhando o tráfego, a 6 de junho de 1980, carregando nos braços a roupa passada de uma de suas clientes. Onze anos depois, eu nasci. Exatamente na mesma data. Parece mórbido começar um texto assim, […]

Leia Mais