Arquivo - Tag: Dilemas

É possível salvar Charlie Gard?

“Pode-se imaginar o enorme sofrimento dos pais de Charlie. Sofrimento que possivelmente tem bases em um dos assuntos mais complexos para todas as culturas do mundo: a morte e o morrer. O medo do desconhecido, a sensação de impotência e a esperança de um milagre sustentam a religiosidade e a ciência nesse assunto. A religiosidade,(…)

Entre o ceticismo e a fé

A jornalista e mestranda em Comunicação Social pela UFMG, Juliana Ferreira, enviou ao blog o arrepiante depoimento abaixo. Ela nos relata casos de mediunidade, em experiências que tem desde os dois anos, e confidencia um dilema comum: oscilar entre dois extremos – o ceticismo e a fé.  “Alguns filósofos contemporâneos defendem que a sociedade de(…)

Primeiro-ministro canadense busca legalizar o suicídio assistido

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, é a favor do suicídio assistido e se empenha para torná-lo uma realidade. Na última quinta-feira (14), introduziu uma lei para legalizar o procedimento a canadenses portadores de doenças crônicas. A lei criminal é uma questão federal no Canadá, mas a permissão para o suicídio assistido já é aprovada(…)

Pagos para morrer

  “Está na hora de você pensar num pôr do sol magnífico? Inscreva-se já!” Um podcast do Freakonomics, sugerido pelo leitor Fabio Storino, reflete sobre um comercial de TV imaginário: um doente em seu leito de morte, ao lado dos familiares, debate sobre os altos custos de estender um tratamento médico que lhe proporcione uma(…)

Um dia para morrer – a discussão no Brasil

Brittany Maynard vinha divulgando que se suicidaria nesse sábado, 1° de Novembro, mas em seu último vídeo (veja aqui) anunciou que talvez não fosse, por ainda se sentir bem. Ao mesmo tempo, ela afirmou em entrevistas, como essa aqui da New Yorker, que temia esperar demais e ficar incapacitada de tomar os remédios letais por conta própria (devido(…)

Permisṣo para morrer Рo caso de Brittany e o depoimento de Nathalie

O caso da americana Brittany Maynard tem emocionado muitos ao redor do mundo e anda aquecendo a discussão sobre suicídio assistido e eutanásia. Essa jovem de 29 anos enfrenta o pior tipo de câncer cerebral, Glioblastoma Multiforme, e recebeu, em abril, o diagnóstico de seis meses de vida.  Mas ela não quer esperar para ver.(…)